.posts recentes

. ENSAIO LG21 * LITERACIA G...

. ANÁLISE DA ACTUALIDADE PO...

. NEUROCIÊNCIAS E EDUCAÇÃO ...

. REVISTA VISÃO DESTE SEMAN...

. NERCAB PERCEBE A NECESSID...

. MILÃO E IZMIR, DUAS FERVE...

. DESERTIFICAÇÃO EXIGE UM S...

. A CIDADE DE VENEZA COM RI...

. SUÉCIA, PIONEIRA DO COMBU...

. À meia duzia é mais barat...

.arquivos

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

Terça-feira, 25 de Março de 2008

MILÃO E IZMIR, DUAS FERVEROSAS CANDIDATAS À EXPOSIÇÃO UNIVERSAL DE 2015. RESULTADOS, AINDA, ESTE MÊS

 

 

DEVERÁ A TURQUIA INTEGRAR

O ACTUAL FORMATO DA UNIÃO EUROPEIA ?

 

ISLÃO E OCIDENTE

EM BUSCA DE ENTENDIMENTO !

 

 

   Os SurrealHumanity, neste dia de Páscoa, certamente uma data memorável para os cristãos de todo o mundo, vêem recordar as palavras, sempre doutas, do Apóstolo São Paulo aos Colossenses : "Afeiçoai-vos às coisas do alto e não às da terra" ( cf. Col 3 , 1 - 4 ).

 

    A propósito, valeria a pena recomendar a leitua atenta da Carta Encíclica "Spe Salvi" do Sumo Pontífice Bento XVI. De facto, como bem no-lo recorda Sua Santidade, "SPE SALVI facti sumus " - é na esperança que fomos salvos: diz São Paulo aos Romanos e a nós também ( Rm  8 , 24 ).

 

    Ou, no seu lugar, meditar sobre o final da Mensagem Urbi et Orbi, proclamada pelo Papa Benedictus XVI : "Como não pensar neste momento, de modo particular, em algumas regiões africanas, tais como o Darfur e a Somália; no atormentado Oriente Médio, especialmente na Terra Santa, no Iraque, no Líbano, em enfim no Tibete, regiões para as quais faço votos por que se encontrem soluções que salvaguardem o bem e a paz!"

 

    Também não serão de olvidar a visita do Papa Bento XVI à Turquia e, muito menos, as recentes declarações vindas a lume, - supostamente da autoria do comando supremo das operações da Al Qaeda, Osama Bin Laden - mediante as quais a Igreja Católica é acusada de cúmplice "na perseguição aos muçulmanos".

 

 

 

     Felizmente, um vídeo, recentemente, produzido e passado nos mais diversos meios de comunicação social,  - cujo cenário de fundo envolve um jogo de futebol - vem demonstrar que o mundo islâmico se encontra longe de subscrever as invectivas de terror apregoadas ; no fundo, todos o sabemos, o Islão é, também, uma religião defensora da paz entre os povos - por isso, deixemo-nos de contendas.

 

    Neste ano em que se comemoram os 60 anos da Declaração Universal dos Direitos do Homem e, outros tantos, do nascimento oficial do Estado de Israel, seria desejável encontrar uma definitiva solução de paz, para a região israelo-palestiniana. Chega de diásporas forçadas pela imposição das armas. Chega ! A cada um a sua páscoa ...

 

    Ora, se o Kosovo declarou, há coisa de bem pouco tempo, de forma unilateral, a independência em relação ao domínio sérvio, talvez fosse, igualmente, interessante que a China encontrasse uma "solução criativa"  para o Tibete, e o mesmo para Tawain ; já agora, que os Estados Unidos da América saneassem, de vez, a questão quente iraquiana, mediante uma concessão "inteligente" da desejada autonomia e que, por seu lado, a província do Curdistão deixasse de ser motivo de múltiplas cobiças usurpadoras, seja da parte do Iraque ou do Irão, seja da parte da própria Turquia.

 

     Ora, fiquemos, em seguida, com um excerto de um comunicado oficial, a cargo do Presidente do Conselho Pontíficio para o Diálogo Inter-Religioso, Sua Eminência o Cardeal Jean-Louis Tauran, sob a pena do seu Secretário, Sua Exma. Rev. o  Arcebispo Pier Luigi Celata - que, agora, passamos a transcrever :

 

    " (...) A liberdade de religião, que não se reduz à simples liberdade de culto, é um dos aspectos essenciais da liberdade de consciência, que é o propósito de toda a pessoa e que é a pedra de toque dos direitos humanos. É tendo isto em consideração que poderá ser edificada uma cultura de paz e de solidariedade entre os homens, e que todos poderão empenhar-se com determinação tendo em vista a construção de uma sociedade sempre mais fraterna, fazendo tudo o que está ao seu alcance para recusar a violência, seja ela qual for, para denunciar e para recusar todo o recurso à violência, que não poderá nunca ter motivos religiosos, pois fere no homem a imagem de Deus. Todos sabemos que a violência, em particular o terrorismo que agride cegamente e que faz numerosas vítimas sobretudo entre inocentes, é incapaz de resolver os conflitos, e que só pode suscitar a engrenagem mortífera do ódio destruidor, em detrimento do homem e das sociedades.

 

    Todos juntos, membros de tradições religiosas diferentes, somos chamados a difundir um ensino que honre toda a criatura humana, uma mensagem de amor entre as pessoas e entre os povos. Cabe-nos em particular formar neste espírito as jovens gerações, que terão a seu cargo o mundo de amanhã.

 

      Neste espírito, é preciso considerar importantes a prossecução e a intensificação do diálogo entre Cristãos e Muçulmanos, na sua dimensão educativa e cultural, para que se mobilizem todas as forças ao serviço do homem e da humanidade, para que as jovens gerações não se organizem em grupos culturais ou religiosos uns contra os outros, mas se tornem autênticos irmãos e irmãs em humanidade. O diálogo é um instrumento que nos pode ajudar a sair da espiral sem fim de conflitos e tensões múltiplos que atravessam as nossas sociedades, para que todos os povos possam viver na serenidade na paz, no respeito mútuo e no bom entendimento entre os seus diferentes elementos.

 

   A educação e o exemplo serão também para eles fonte de esperança no futuro. (...)"

    

     Depois destas palavras eivadas de sabedoria, acreditamos que tudo está dito - e bem dito. Quanto a nós, Surreal do Externato de Nossa Senhora dos Remédios do Tortosendo, acérrimos defensores do ecumenismo e do diálogo inter-religioso e intercultural, naturalmente que subscrevemos, na íntegra, estes Altos Dignatários da Igreja Católica : urge, a começar, precocemente, nas escolas, por incutir, neste novo reticulado global, uma ampla formação de base no que às diferentes concepções religiosas e culturais se refere - aliás, é esta, também, a leitura que a Unesco e a Aliança para as Civilizações fazem  ( a presente leitura não dispensa a consulta dos documentos abaixo mencionados, em epígrafe ).

      

 

       Oportuno é dar-vos a conhecer uma, ainda, recente, mas não por isso menos interessante, iniciativa da parte das duas cúpulas religiosas, precisamente, neste particular sentido. Terá sido por este motivo que, do lado dos grupos filiados ao terror, se procurou radicalizar o discurso, ao longo destes últimos dias ?

              Deixamos a questão em aberto, para a posteridade ...

      O Conselho Pontifício para o Diálogo Inter-Religioso (CPDIR), do Vaticano, anunciou, no passado dia 5, a criação de um Fórum católico-muçulmano, com o objectivo de promover o diálogo entre os fiéis das duas religiões. Num comunicado oficial,  a preceito, o CPDIR revelou, também, que a primeira iniciativa deste Fórum será a organização de um Seminário, de 4 a 6 de Novembro de 2008, sobre o tema “Amor a Deus, amor ao próximo”.

     De modo que, em jeito de glosa, compete-nos afirmar, sem rodeios, que somos apologistas convictos da entrada da Turquia no espaço da União ; como é evidente, desde que, da parte dos seus máximos representantes, haja suficiente abertura aos valores charneira da Europa ... 

                                                       Epígrafe ao Post de hoje :

 

    Os Surreal prometem continuar esta saga de aproximação ao Islão, no decorrer dos seus próximos posts ... Amanhã, por exemplo, faremos o contraponto entre as candidaturas de Milão e de Izmir - uma cidade turca, menos conhecida do grande público, sobretudo quando comparada à imortal Milão, rica em tradições e múltiplas experiências de encontros entre diferentes religiões, com um espírito de abertura ao mundo ocidental digno de registo - à Exposição Universal de 2015 .

 

 

 

      Os resultados destes processos de candidatura estão, por esta altura, a ser criteriosamente analisados e, segundo fonte creditada, serão dados a conhecer lá para o final do corrente mês ...

 

 

 

( cf. MENSAGEM URBI ET ORBI, PÁSCOA 2008,  de SUA SANTIDADE BENTO XVI , Libreria Editrice Vaticana

 

cf. Islamic Conference Youth Forum for Dialogue and Cooperation, de 28 de Outubro a 2 de Novembro de 2007, em Baku, no Azerbeijão, Jorge Sampaio

 

    cf. Entrevista sobre a Educação e o Ensino do Diálogo Intercultural e Inter-religioso, promovida pelo Departamento do Diálogo Intercultural da Unesco, no âmbito do Programa do Diálogo Inter-religioso, de 1999 a 2001 ).

 

sinto-me: COM VONTADE DE DIALOGAR !
publicado por $urrealHumanity às 17:17
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 20 de Março de 2008

DESERTIFICAÇÃO EXIGE UM SÉRIO PACTO POLÍTICO E SOCIAL NO INTERIOR BEIRÃO

 

 

“Desertificação exige pacto político e social”

 

“Os cenários adensam-se e o alerta é para que a região planeie em conjunto o seu futuro. A perda das cidades médias é o cair de uma barreira de desertificação.

Fundão pode perder mil habitantes até 2011”

 

 

            As dinâmicas de atracção de pólos urbanos intermédios são a derradeira barreira no Interior no abrandar da acentuada fuga para o litoral. Os pequenos municípios encravados nos vales do esquecimento, as aldeias-fantasma que vão corroendo o território são pasto fértil da descrença e resultado visível da debandada das oportunidades. Na região, cidades como a Covilhã, Fundão e Castelo Branco apresentam-se, muitas vezes, como a primeira e única alternativa válida à fuga para as áreas metropolitanas do litoral. Os concelhos da Covilhã, do Fundão e de Castelo Branco resistem como podem à ameaça da quebra populacional. E só um crescimento concertado e consistente reforçará este muro de defesa do Interior. (…)Analisando os dados oficiais dos Censos de 1991 e de 2001, sobressai que a população entre os 15 e os 24 anos diminuiu 4,5 por cento e que a população com menos de 14 anos diminuiu 20,4 por cento. A população residente com mais de 65 anos, essa, aumentou 11,7 por cento.

 

In Jornal do Fundão, “O caminho é sempre em frente … e pode ser sempre a cair”, Nuno Francisco, Ano 63, Nº 3213, de 13 de Março de 2008, pp 9

 

 

 

 

 

“Pacto social e político para a região”

 

O professor Jorge Reis Silva, especialista em questões de mobilidade, alerta que “deveria haver um pacto social e político” entre os responsáveis políticos da região. “Nem todos os agentes políticos têm que falar a mesma língua, não têm que estar todos no mesmo partido político, as Câmaras não têm que ser todas do mesmo sinal, mas deveriam ser todas do mesmo vector de desenvolvimento, deveriam estar todas imbuídas do mesmo sentimento, que era em prol do desenvolvimento de uma região. E isso não tem acontecido”, diz o docente da Universidade da Beira Interior. É preciso estratégia, concertação, planeamento a nível geral. “Divididos, a nossa capacidade de valorização não sai realçada”, sendo urgente que “se ofereça o nosso território às oportunidades de uma forma integrada. Temos que nos entender para perceber o que queremos”, sublinha Jorge Reis Silva.

 

In Jornal do Fundão, “Destaque – Pacto social e político para a região”, Ano 63, Nº 3213, de 13 de Março de 2008, pp 9

sinto-me: NUM DESERTO DE IDEIAS ...
tags:
publicado por $urrealHumanity às 22:25
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 11 de Março de 2008

A CIDADE DE VENEZA COM RISCO DE SER SUBMERGIDA PELAS ÁGUAS

A 4 de Novembro de 1966, - entretanto, já passaram, cerca, de quarenta anos – a incomparável Cidade de Veneza assistia, impávida e não muito serenamente, à subida galopante da maré, tendo chegado a atingir os 194 centímetros, - valor recorde, até então, nunca alcançado – e acabado por submergir a Sereníssima, deixando o lastro da ameaça a pairar sobre a chegada do futuro.

 

Os venezianos e apreciadores do património artístico temeram o pior, isto na estrita medida em que, os potenciais danos e custos associados passariam a assumir valores incalculáveis. Várias têm sido as soluções propostas, se bem que as somas dispendidas remontam a montantes muito elevados, para os cofres do erário público. Contudo, as águas do Mar Adriático, mesmo contra as múltiplas preces e vontades das gentes, teimavam em querer entrar, pelas zonas mais baixas, nomeadamente, pela famosíssima, e não menos encantadora, Praça de São Marcos.

 

A verdade dos factos nua e crua tem sido esta : o ecossistema lagunar, onde a Cidade dos Rondós, se insere, têm se agravado, de dia para dia, e as cheias parecem não ter a intenção de refrear os seus intentos. Independentemente de todo este quadro digno de Dante, bem mais do que Petrarca, o Estado italiano, em atestado de bravura política, optou, na década de 90 do século passado, pela salvaguarda de Veneza e de toda a sua laguna envolvente : tratava-se, no seu claro entendimento, de uma questão de interesse nacional prioritário. Os Surreal, também, concordam com esta leitura e aplaudem todas as tentativas levadas a cabo, pelas entidades competentes, no sentido de manter viva uma cidade tão única no mundo.

 

Seja como for, a criação do megacentro petroquímico de Porto Marghera e a escavação de canais de navegação profundos desencadearam a emissão de uma série de poluentes – derivados da actividade não só industrial, como também, agrícola e mesmo civil – para as águas e acabaram por impor modificações, muito amplas, no desenho hidrodinâmico da laguna. Por conseguinte, ficamos a perceber que, tanto a erosão, como a subsidência, a própria eustasia – entendida enquanto subida global relativa do nível do mar -, bem como a poluição acrescida do movimento das ondas, foram, pouco a pouco, contribuindo para todo este cenário meio bíblico.

 

Para lá de todas as vicissitudes e adversidades, mais ou menos, consentidas ou provocadas, o incrível foi, para os Surreal, ficar a saber da nova promissora solução engendrada pelos académicos e entendidos desta matérias : já tem nome e designa-se por Sistema Moisés. Actualmente, está a ser construído nos canais da laguna, os espaços entre a linha de costa e por onde as temidas marés entram e saem. Este sistema inovador, nunca antes testado, assenta num conjunto de barreiras fixas e barreiras móveis, com 78 paredões, dispostos, em articulação estreita, ao longo de quatro linhas. Em média, aquilo se espera de todo este intricado e dinâmico novo paradigma das cidades ameaçadas pelas águas, é que, durante um período de tempo de 4 a 5 horas, se possa fechar e consiga suportar até uma diferença de 2 metros, entre o mar e a laguna.

 

O objectivo primordial dos responsáveis é poder, num horizonte temporal que não exceda uma década, proporcionar à cidade, que têm apadrinhado as festividades carnavalescas – bem vincadas na sua larga tradição -, uma maior segurança à população residente e, já agora, á visitante. Sempre que as marés atingirem o nível 110, Moisés irá entrar em acção, sob pena de se deitar a perder todo um Património da Humanidade, impossível de recuperar.

 

Quanto mais não possa ser, os SurrealHumanity acreditam que Moisés conseguirá amainar a força das águas, pelo menos, no decurso deste século em que nos encontramos.

 

A Páscoa de Veneza parece, pois, assegurada, depois, logo se verá …

publicado por $urrealHumanity às 12:09
link do post | comentar | favorito

SUÉCIA, PIONEIRA DO COMBUSTÍVEL VERDE

 

 

O etanol celulósico da madeira constitui uma peça fundamental da transição sueca para as energias renováveis. Anseiam por poderem ser os primeiros, em todo o mundo, a libertar-se da ditadura dos hidrocarbonetos, tendo já previsto, a título de estimativa – um pouco grosseira, talvez -, o final de todo este processo transitório para o ano de 2020.

            Independentemente das deambulações pelos meandros das dependências energéticas da Suécia, a verdade é que o etanol já conta com cem anos de existência, neste aprazível território nórdico. Actualmente, graças à sua produção de cereais, em conjunto com aqueles que importa do Brasil e da Europa, é capaz de assegurar, qualquer coisa, como 25% das suas reais necessidades crescentes de bioetanol.

            O mais curioso é que o Estado sueco, com a sua firme política de sustentabilidade ecológica, prevê taxas consideráveis para os veículos que emitam dióxido de carbono para a atmosfera, e os seus cidadãos, em vez de ripostar, na sua alta noção civilizacional, agradecem. Para termos uma ideia mais apurada, cerca de 75% dos veículos adquiridos pelo Governo têm de ser de energias limpas, enquanto que, na capital, a proporção é – por incrível que pareça – de cem por cento.

            Quanto aos táxis, os trâmites do quotidiano desta nação eslava seguem as mesmíssimas pisadas.

Parabéns e felicitações merecidos, sem dúvida.

Os SurrealHumanity convidam os bloguistas a seguir este exemplo …

publicado por $urrealHumanity às 11:59
link do post | comentar | favorito

À meia duzia é mais barato....

 

            Fiquem a conhecer algumas curiosidades interessantes, espalhadas por esse mundo fora, quem sabe se nos poderá tocar um pequenino quinhão …

 

            CIDADE DE LONDRES : Exposição “Tutankhamon e a Idade de Ouro dos Faraós”, inaugurada no passado dia 15 de Novembro, e com visitas asseguradas até 30 de Agosto de 2008.

 

            CIDADE DE AMSTERDÃO : Festival de Cinema Documental a decorrer de 22 de Novembro até dia 2 de Dezembro.

 

            RIVIERA MAIA, NO CARIBE : Quinta edição do Festival de Jazz, de 29 de Novembro a 1 de Dezembro.

 

            CIDADE DE MADRID : Exposição da escultora Camille Claudel, até 13 de Janeiro, no Instituto de Cultura da Fundação MAFRE de Madrid.

 

            CIDADE DE VARSÓVIA : Festival de Piano, ao longo de todo o mês de Novembro.

 

            CIDADE DE CANNES : Festival de Dança, no Palácio dos Festivais, até ao próximo sábado, dia 1 de Dezembro.

 

            TORTOSENDO : PROJECTO DO GRUPO SURREALHUMANITY EM EXPOSIÇÃO NO BLOGUE DOS BLOGUES

            http://surrealhumanity.blogs.sapo.pt

OU NO SÍITIO DOS SÍTIOS

            http://SURREALHUMANITYXXI.NO.SAPO.PT

publicado por $urrealHumanity às 11:50
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 6 de Março de 2008

ENSAIO LG21 * LITERACIA GLOCAL * SEGUNDA PARTE

 

“A Identidade é o nome que damos à saída da incerteza que procuramos.”

Zygmunt Bauman, A Vida Fragmentada – Ensaio sobre a Moral Pós-Moderna,

Relógio D´Água, Março de 2007

 

            A perestroika chegou com Gorbatchov, o Muro de Berlim sucumbiu e as Torres do World Trade Center, em terras cosmopolitas do Tio Sam, esvaíram-se em escombros. Três confirmações do óbvio inerente à complexidade e à incerteza contemporâneas : a progressiva dessacralização da realidade ; a falaciosa autonomia e atomização do Sujeito, despersonalizado e despojado da sua Humanidade ; bem como o destronar, cada vez mais evidente, da ideia de abertura intelectual, na esteira do movimento iluminista de oitocentos, superiormente denunciado por Karl Popper. Em boa verdade, o hodierno pecado original da actualidade passa, quase em exclusivo, pelo querer, compulsivamente, fazer tábua rasa do legado deixado pelos nossos antepassados, como se tivéssemos sido nós próprios a auto-criar-nos, dispensando toda a espécie de progenitores.

 

Por mais vozes que tenham tentado fazer-se ouvir, com George Bernanos ou Emanuel Mounier à cabeça, a surda teimosia, já de si cega por acreditar ver demais, acabou por vingar, isto em nome de uma pretensa concepção de liberdade, hoje, nas ruas da amargura do virtual. Documentos de referência como sejam : “Mirari vos”, de 1832 ; “Singulari nos”, de 1834; “Quanta cura”, de 1864 ; ou, mais recentemente, no âmbito do Concílio Vaticano II, apelando para a centralidade da educação para os valores, a Declaração Apostólica “Gravissimum Educationis Momentum”. Com toda a certeza, meritórias e muito sérias tentativas de diálogo harmonioso entre a razão e a fé, – na esteira de Santo Agostinho, de Santo Anselmo e do Aquinate, isto só para nos mantermos fiéis às trindades tão caídas em desuso – acabaram por ser, profundamente, ignorados e, pior do que isso, considerados autênticos entraves ao processo de libertação do homem, até à data, submergido em rituais desrespeitadoras da natureza e felicidade humanas.

 

Corria o ano de 1967, quando um eminente filósofo e jurista alemão, de seu nome Ernst Wolfgang Böckenförde, decide, corajosamente, juntar-se à prerrogativa de negação das ideologias messiânicas em voga, precisamente, um ano antes do movimento estudantil que viria a fazer furor nos mais diversos meios académicos mundiais, Maio de 1968, tendo declarado, alto e bom tom : o Estado liberal secularizado vive de pressupostos que não pode garantir”.  Todavia, o eco deste grito, infundado para o ar respirado da moda vigente, pouco ou nada viria a alterar, na essência da mundaneidade caleidoscópica mescladora das mais variadas vivências. Ainda recentemente, vozes de discordância manifesta com a trajectória política em curso, nomeadamente, por parte de Rocco Buttiglione, junto do Parlamento Europeu, - imagine-se - em defesa das raízes cristãs na base do processo de construção europeia, mereceram pesada censura pelas mãos dos excelsos responsáveis. Por incrível que possa parecer, os principais líderes dos destinos da União Europeia fizeram, literalmente, letra morta de documentos doutrinários de primeira linha, designadamente, a Exortação Pós-Sinodal  “Ecclesia in Europa” permitido pela pena acutilante do saudoso Papa João Paulo II.

 

Seja como for, uma réstia de esperança mantém-se viva no panorama actual : efectivamente, podemos afirmá-lo com a frontalidade que tão bem nos caracteriza, muitos são, já, os intelectuais europeus que discordam com a linha política que tem sido traçada, particularmente, o insuspeito Jürgen Habermas, no campo do racionalismo pós-metafísico, que defende uma “secularização não aniquiladora” e afirma, com todas as letras e mais alguma que houvesse, que a neutralidade ideológica do Estado, garante de idênticas liberdades éticas a todos os cidadãos, é incompatível com a generalização política de uma mundividência laica”.

 

Como não querer aceitar a evidência : a União Europeia, goste-se ou não, emerge das raízes cristãs da Velha Europa. Mais uma sustentada confirmação das nossas suspeitas : o conceito personalista, latente na história do mundo ocidental, deseja-se, por estes dias e mais do em nenhuma outra época, amordaçado e vilipendiado em nome do novo monarca, o do Sujeito-Atomizado ou Indivíduo. Numa nova era em que as distâncias se vêem encurtadas, é bem provável que as noções de Tempo e de Eternidade nos estejam a exigir igual tratamento existencial : tudo se passa como se tudo se resumisse a um simples e efémero instante, nada mais há além dessa ínfima migalha temporal. A dimensão histórica é, em definitivo, abolida e, com isso, a Humanidade vê-se de braços dados com a mais incrédula das certezas : a incerteza travestida de virtual.

 

Se viver é aprender a amar, estamos em crer, o Amor e a Vida estão condenadas a uma radical relação construtiva e, dialecticamente, dialógica.

Perguntamos, tão somente, se é isto que é ser Homem, no desfraldar do século XXI ?

(SURREAL CONTINUA ...)

sinto-me: LITERALMENTE COM SENTIDO DE...
publicado por $urrealHumanity às 19:58
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.subscrever feeds